Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Coisas que...

Coisas que...

20
Out15

[Li] Apanhado de opiniões #1

Carla B.

Este ano não tenho tido grande possibilidade (ou mesmo vontade) de escrever sobre o que vou lendo, mas depois fico com um sentimento de culpa enorme porque sinto que não os "digeri" como devia.

 

Eu sei que são manias mas, para colocar o meu espírito mais á-vontade, cá ficam alguns apontamentos. Não serão grande coisa, até porque sobre alguns já se passa mais de meio ano desde que os li, mas é o melhor que se vai conseguindo.

 

Quiet: The Power of Introverts in a World That Can't Stop Talking de Susan Cain

 

Foi o livro com que fechei 2014 e entrei em 2015. Já tinha visto o vídeo e por isso foi sem surpresa que peguei no livro. Este foca ainda mais o que é ser introvertido e, sobretudo, como esse traço é tão importante, possibilitando a criatividade e o pensar fora da caixa.

 

A autora não demoniza a extroversão, pelo contrário mostra como também é importante que haja extrovertidos, mas critica o facto de ser uma característica que é tida em grande conta, quando até extrovertidos poderiam fazer bom uso de um momento em silêncio ou de não serem tão impulsivos. Se até o maior introvertido tem por vezes de sair da sua concha e fazer-se ouvir, o contrário pode ser benéfico para o extrovertido.

 

Como em tudo, é preciso moderação e alguma dessa moderação é obtida com os dois tipos a trabalharem em conjunto.

 

Amor e Poder (Primeiro Homem de Roma, #1) de Colleen McCullough

 

Eu sou uma licenciada em Arqueologia estranha. Estão a ver as grandes civilizações que levam a sonhar com a profissão de arqueólogo? A civilização egípcia? A civilização romana? Pois, eu é mais medieval e moderno. Não é que não admire aquelas culturas, que realmente em termos arquitectónicos e culturais foram fenomenais, mas para além de alguma curiosidade não me sinto fascinada.

 

Ora, por motivos profissionais tenho lidado, no último ano, de perto com o legado romano e achei que estava na altura de me dedicar ao estudo. Mas como sei como é que os livros de história podem ser maçudos (tenho conhecimento de causa)  lá me atirei à ficção histórica que, quando bem feita, é capaz de dar uma boa perspectiva do que seria o dia-a-dia das pessoas comuns e do que certa personagem histórica podia estar a pensar num determinado momento. Sim, é ficção mas é capaz de nos tornar mais simpatéticos para com algumas personagens.

 

Esta série sempre esteve na minha lista de livros a ler e, tendo falecido a escritora, achei que seria uma boa altura para ficar a conhecer a obra que nos deixou.

 

Se o livro peca é por parecer algo repetitivo e a história se desenvolver lentamente, no entanto permite-nos conhecer as personagens principais, Caio Mário e Sula, assim como o ambiente em que se movimentam, cheio de intrigas políticas, e o que os move.

 

Não é de todo uma leitura leve mas não deixou de ser agradável.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D