Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Coisas que...

[Pondero] De momento #21

por Carla B., em 26.07.15

A ler // Ok, ao terceiro romance contemporâneo consecutivo o meu cérebro diz "não! é demasiado!" e por isso desisti da leitura de Ice Blue. Não me parece que vá pegar nos últimos dois livros da série porque me parece ser mais do mesmo e, sinceramente, prefiro os meus romances com corpetes. Foram servindo o seu propósito, desanuviar a cabeça, mas sinto que estou pronta para outra coisa.

 

A bloggar // Mais uma vez tive um post nos destaques do Sapo. Obrigada pela atenção!

 

A desejar // Que uma iniciativa no trabalho tivesse corrido melhor. Mesmo assim estou orgulhosa de mim própria e para o ano, se for para participar outra vez, já estarei melhor preparada!

 

A querer // Que um certo livro reservado na biblioteca me chegue às mãos.

 

A ponderar // Voltar à troca de livros.

[Desafiam] 52 semanas - #17 Personagens cuja vida eu gostaria de viver por um dia

por Carla B., em 26.07.15

Esta semana é dedicada a personagens, de filmes, livros e séries televisivas, cuja vida gostava de viver. Ora bem...

 

Penelope Featherington (Romancing Mr. Bridgerton)

 

Porque Colin Bridgerton! Além disso, tirando os vestidos ridículos que a mãe a faz usar até ficar "na estante", acaba por gozar de alguma liberdade e consegue escrever uma coluna social, muito bem sucedida, em que diz tudo o que pensa das outras pessoas sem papas na língua. O anonimato ajuda mas, quando esse desaparece, também tem a seu lado um grupo de pessoas que a defendem por gostarem dela e, até, a admirarem.

 

Dowager Countess (Downton Abbey)

 

Nem que fosse só para ter a possibilidade de fazer os comentários que ela faz. Ah! Como anseio ser como ela!

 

Indiana Jones (Indiana Jones)

 

Encontrar o Santo Graal?! A Arca da Aliança?! Viver aventuras?! QUERO! Mesmo que corresse risco de vida, ao menos encontraria alguns dos mais míticos objectos históricos!

 

Will Laurence (Témèraire)

 

Ok, ele até é um pouco irritante porque é algo estúpido, mas OMD o Témèraire é fantástico! Poder ter um dragão como amigo e meio de me locomover é o meu sonho! Ah e tal, podia escolher a Daenerys para isso, mas quereria eu lutar numa guerra tão sangrenta como a que se vai lutando pelo Trono de Ferro? Mesmo com 3 dragões fico-me pelas guerras napoleónicas, muito obrigada.

 

Anne Elliot (Persuasão)

 

Nem que fosse apenas para receber a carta mai'linda de todos os tempos. *suspira* Mas é também uma personagem forte, que admite os seus erros e que, apesar de tudo, acaba por viver a sua vida como pretende.

[Oiço] One Republic - Stop and Stare

por Carla B., em 24.07.15

Stop and stare
I think I'm moving but I go nowhere
Yeah, I know that everyone gets scared
But I've become what I can't be, oh

 

Stop and stare
You start to wonder why you're here not there
And you'd give anything to get what's fair
But fair ain't what you really need

[Acontecem] "Tenho orgulho em ser uma vaca"

por Carla B., em 23.07.15

Pertenço à geração que cresceu com a "Rua Sésamo". Guardo com carinho na memória como ajudou-me a aprender a ler, pelo menos o alfabeto, e a contar, e guardo também com carinho personagens como o Monstro das Bolachas, o Poupas e o Ferrão, com o seu agripino. Acho que me marcou de tal maneira que, quando passo ao pé de lagos com peixes, desato a gritar "peixe, peixe, peixe!" por me lembrar desta cena. Mas o que me lembro melhor são algumas músicas. Claro que a do genérico é a mais icónica, mas ainda hoje dou por mim a cantar "nunca verás uma banana só!". E como fazer exercício físico sem desatar a "ginasticar"? No entanto, a minha preferida é sem dúvida...

Eu adoro vacas, desconfio que também posso culpar a "Rua Sésamo" por isso. Como não gostar de um animal tão orgulhoso em ser o que é? E a versão inglesa também é brilhante.

 

E porquê isto tudo? Porque hoje ia para o trabalho quando, na Rádio Comercial passam a música! Começar o dia a cantar no carro como "tenho orgulho em ser uma vaca"! Foi um início de dia em grande! Deveriam ser todos assim.

[Li] "The Martian" de Andy Weir

por Carla B., em 21.07.15

 Tirado daqui.

 

Eis como é bom sair da nossa zona de conforto. Não sou das maiores fãs de Ficção Científica (FC)... quer dizer, pelo menos na sua versão literária. Como disse no grupo do Só Ler Não Basta, no Goodreads, onde de momento está a decorrer um desafio para ler FC:

Talvez seja medo de não conseguir imaginar o que apresentam (como a minha imagem do rover no The Martian mostra, imaginação nem sempre é comigo, imaginei o Wall-E versão grande mas coisas assim, está quieto :P ) ou medo da ciência. Não é que seja algo que seja aprofundado em todos os livros, mas só a possibilidade de ler debates de física ou explicações me deixa pouco entusiasmada.

Além disso, sinto que com a FC preciso de uma componente visual mais presente, de um meio mais visual.

Filmes e séries televisivas ainda vá. Em livros é mais complicado pegar, mas o certo é que acabo por gostar. Já tinha gostado de Os Despojados, e agora gostei deste The Martian.

 

Jamais me tinha chamado a atenção, apesar de andar nas bocas do mundo e ter sido considerado um dos livros do ano de 2014 do Goodreads, e era mesmo daqueles em que planeava ver o filme e ficar-me só por aí, mas é nisto que dá as leituras conjuntas. Acabou por ser uma surpresa, não tanto por ter lugar em Marte, já vi filmes, mas pela maneira como a história é contada. Mark Watney é abandonado em Marte pelos parceiros da missão em que se encontrava, pois aqueles pensam que ele está morto, e vai-nos contando o seu dia-a-dia através de registos diários. O seu humor sarcástico é brilhante mas o que é demais enjoa e quando a coisa começa a perder a piada... eis que ganhamos novas perspectivas sobre a situação.

 

Como alguém disse no vídeo de discussão, é como se o autor soubesse exactamente o que o leitor está a pensar e, quando está prestes a perdê-lo, surge algo que volta a despertar a atenção e a manter-nos alerta. Isto fez com que partes do livro fossem lidas sofregamente para saber como é que se desenrascariam das várias situações que se vão sucedendo. Ou pelo menos isso aconteceria se Junho não tivesse sido (mais) um mês caótico, porque se é verdade que o livro é um autêntico pageturner, o facto é que dei por mim a aborrecer-me aquando das descrições da parte mais "Macguiveriana" (a descrição de "Macguiver em Marte" pela Telma é perfeita), e com a cabeça a viajar para bem mais longe que o planeta vermelho.

 

As personagens, tirando talvez o protagonista, são muito pouco desenvolvidas, sendo mesmo algo estereotipadas mas tal acaba por servir um propósito, todas têm uma função nesta narrativa, para além de fazerem Mark brilhar. No entanto, as relações acabam por ser bem conseguidas ainda que não sejam desenvolvidas de forma típica, digamos assim. Como fazê-lo se o protagonista está a muitos milhares de quilómetros da Terra? Mas Mark é realmente a estrela (ah! tinha de usar termos destes!). Percebo que haja quem tenha achado o seu humor artificial a partir de determinado ponto, como a Célia, mas tendo em conta o treino, o facto de terem escolhido o Mark pela sua personalidade, e o facto de que só temos um pequeno vislumbre daquilo que se passa com ele, sendo que o próprio diz que está a fazer aqueles registos na eventualidade de alguém os encontrar pelo que não devia querer dar parte de fraco, levam-me a admirar a sua força e estado de espírito. Garanto que se fosse eu, a história seria bem curta. 

 

Como disse, gostei do livro apesar dos problemas que fui encontrando. Problemas até que podem não ser apontados ao livro em si, pois deriva sobretudo de não me conseguir concentrar, como pretendia, na história. É um relato de luta pela sobrevivência num meio inóspito, coisa que penso que nunca tinha lido mesmo com histórias passando-se na Terra, com um personagem que, julgo, tornar-se-á memorável.

 

Podem ainda ler (porque não há links suficientes neste texto  ) as opiniões da Diana e da Slayra.

[Encontro] Tales of The Great Gatsby & Miss Scout

por Carla B., em 20.07.15

Eu sei que é estúpido mas como neste momento não posso ter um cão, sigo os cães dos outros... Sim, podia dar-me para pior mas pronto, aqui fica a confissão. E sigo dois Pembroke Welsh Corgis, porque... CORGIS! São das minhas raças preferidas e são das coisas mais fofas que pode haver (mais fofo só, provavelmente, o cruzamento de corgi com labradores, ou corgidores). Diga-se que entendo perfeitamente a preferência da Rainha Isabel II por esta raça e se pudesse também teria uma carrada deles.

 

Mas voltando aos dois corgis em questão... Comecei a seguir o Tumblr pouco depois de levarem a Scout para casa, quando ela era ainda uma "grumpy corgi", e tem sido engraçado acompanhar o crescimento dela, o "Fatsby" virar "Fitsby", assim como as histórias que a dona vai contando sobre as travessuras que volta e meia fazem os dois, ou com outros dois cães que pertencem aos pais dela. Acho piada ela ter-lhes dado nomes de personagens literárias e dizer que cada um parece ter adoptado o espírito da personagem em questão. Há força nos nomes.

 

 Visto aqui.

 

Se soubessem o que esperei por esta imagem! Estava fadado a acontecer, depois das fotos que têm vindo a aparecer.

[Pondero] De momento #20

por Carla B., em 19.07.15

A ler // Acabei dois livros! Comecei a ler uma série de romances contemporâneos, com algum thriller à mistura, da Anne Stuart e apesar de não serem grande coisa ou memoráveis, têm-me mantido entretida. Tenho lido, muito. Aproveitado cada momento, em que não há nada para ver ou fazer, para ler. Porque é que é tão difícil, às vezes, fazer o mesmo com outras leituras? De qualquer forma, vou continuar por estas leituras mais leves, que exigem pouca atenção, até me fartar delas. Se é isto que o meu cérebro quer, é o que vai ter. 

 

A ver // Vi um filme chamado "Outlander", que é algo ridículo quando se pensa um pouco mais na coisa, mas Vikings! Extra-terrestres luminosos! Um Jim Caviezel que viaja no tempo!!! Para além disso, revi também "Possessão", a adaptação do livro com o mesmo nome de A.S. Byatt. Recomendo ambos, ainda que o filme não tenha mesma beleza das palavras, a mesma força que o livro.

 

A bloggar // Parece que um dos meus posts esteve nos destaques dos blogs do Sapo. Mentiria se não dissesse que fiquei satisfeita. Mas ao mesmo tempo envergonhada.  Obrigada!

 

A adorar // O jantar de convívio com um grupo do trabalho. Caracóis, sangria e companhia da boa, numa esplanada, ao fim de um dia de trabalho e antes de um fim de semana grande (pelo menos para a minha pessoa). O melhor da vida é feito de momentos destes.

 

A odiar // O calor e o vento de que vez em quando teima em levantar em rabanadas que dão cabo da paciência de uma pessoa.

 

A comprar // Roupa e uma nova edição do Persuasão da Jane Austen, desta vez em capa dura. Com esta já são 3 edições em português, 2 em inglês, sendo que uma é ilustrada e a outra em e-book, e uma adaptação televisiva (sendo que já vi duas, mas dispenso ficar com um DVD da versão de 2007). Mas o mais curioso é que, em todas as edições em papel, excepto a primeira, quando abri o livro na livraria, abri exactamente na página da carta mai'linda alguma vez escrita. I kid you not! Por isso, como não trazer o livro? Além de que não há tal coisa como edições a mais do Persuasão...

[Desafiam] 52 semanas - #16 Isso, para mim, não é diversão

por Carla B., em 19.07.15

Porque a preguiça anda a imperar por estes lados, vem um pouco mais tarde e, mais uma vez, não chega a ser um top 5. Até porque eu levo muita coisa na brincadeira. Vai dependendo dos dias mas o que não é para mim diversão quase que se resume a...

 

Responsabilidade

 

Felizmente, e como disseram num curso que frequentei recentemente, do meu trabalho não dependem vidas mas acho que é triste eu ser a mais nova no meu trabalho e, no entanto, parecer que sou das que mais leva a sério o que ali se faz. Há alguns para quem datas são apenas uma indicação de que por altura é que uma coisa deve ser feita (e mesmo assim entregam com meses de atraso), quem não percebe que uma instituição pública tem uma imagem a manter, quem não perceba que, por muito que nos custe, o cliente tem (quase) sempre razão.

 

Maus tratos

 

Seja a pessoas ou animais.

 

Stress

 

Eu não lido bem com o stress e, ultimamente, há muitas coisas que me stressam. Mas há pessoas que são tão compreensivas que gozam com isso. Que gozam com o facto de eu, quando trabalho 15 dias consecutivos, sem descanso, sem silêncio, não gostar ou ser capaz de suportar pessoas. Que gozam com o facto de eu parecer uma barata tonta por, no meio de tanta coisa, não saber para onde me virar. É que há pessoas que podem fazer o que querem e não são repreendidas, mas há quem por muito que corra e sinta a camisola, à primeira vez que diz "não posso", porque não dá para responder a todas as solicitações ao mesmo tempo, há-de levar com frases como "você tem é má vontade" ou "você não trabalha em equipa". Isso tira-me do sério, stressa-me e enquanto há quem se fique a rir, para mim não é divertido.

 

Ok, a última é parecida com a primeira e praticamente um desabafo, mas deixem-me.

[Pondero] De momento #19

por Carla B., em 12.07.15

A ler // Esta semana li dois contos e comecei a ler um romance. Não é grande coisa mas está a manter-me entretida e neste momento é só isso que peço de um livro.

 

A ver // Nada, mas está para começar a segunda temporada de "The Strain" e ainda não acabei a primeira.

 

A antecipar // Uma semana de trabalho curtinha, com dias de folga por tirar depois do caos que têm sido os últimos tempos. Estou mesmo a precisar de descansar. Sinto que ando a dizer muitas vezes isto mas parece que não faço mais nada para além de trabalhar e dormir. Sim, que felizmente vou conseguindo dormir.

 

Sim, a minha vida é a coisa mais monótona que pode haver.

[Vejo] Macbeth

por Carla B., em 11.07.15

Hoje andava a fazer uma vistoria pelos vídeos que tinha guardado para ver mais tarde e dei com a beleza que parece ser o filme do escocês.

 

"Battle"

 

"Coronation"

 

Teaser Trailer

 

Entretanto vou continuando à espera do "Enemy of Man"...

Pág. 1/2